Publinota
Condição pode prejudicar o desenvolvimento e a inclusão social das crianças
DANONE NUTRICIA DESTACA IMPACTO DAS ALERGIAS ALIMENTARES NA SAÚDE DAS CRIANÇAS

O número de casos de alergias alimentares aumentou 10 vezes nos últimos 11 anos e a condição atinge uma em cada 18 crianças brasileiras. Entre elas está a Alergia à Proteína do Leite de Vaca (APLV), cuja prevalência é de aproximadamente 5,4% no Brasil e é a alergia alimentar mais comum. Na Semana Mundial da Alergia, a Danone Nutricia mostra como a APLV impacta a saúde e o desenvolvimento, além de poder prejudicar a inclusão social dessas crianças.

As alergias alimentares são reações do sistema imunológico que ocorrem após a ingestão da proteína de um determinado alimento. Entre os potencialmente alergênicos, como ovo, trigo, soja, peixe e castanhas, o leite é o que mais está relacionado a casos de alergias. A APLV é uma reação alérgica a uma ou mais proteínas do leite de vaca. Ela é transitória, mas estudos recentes mostram que as alergias estão ficando mais persistentes, com aumento no número de crianças que desenvolvem tolerância mais tardia. Em 79% dos casos isso ocorre até os 16 anos de idade. 

Os sinais e os sintomas mais comuns das alergias alimentares são inchaço nos olhos, sangue nas fezes, diarreia, coceira (urticária), dermatite, refluxo, cólicas e a gravidade varia de acordo com o tipo de alergia. Em casos mais agudos, podem levar a choques anafiláticos e requerem socorro imediato. No entanto, o diagnóstico é difícil de ser obtido. Estudos mostram que a criança pode passar por até 6 médicos até serem avaliadas corretamente, o que leva a um tratamento inadequado.

"O aumento de casos de alergias alimentares nos últimos anos mostra que este é um tema de grande importância para a sociedade como um todo. Por isso, é importante estarmos preparados para lidar com esta condição e impactar positivamente a vida dessas crianças e de suas famílias, tanto no âmbito da saúde quanto no social", afirma a Dra. Renata Cocco, Coordenadora do Departamento Científico de Alergia Alimentar da ASBAI.  Além dos sintomas alérgicos, há outras questões menos conhecidas que relacionam a APLV ao desenvolvimento das crianças e sua inclusão social: 30% das crianças relataram ter sofrido bullying devido à sua condição e elas apresentam 27% mais chances de desenvolverem osteoporose no futuro. Além disso, também foi verificado um déficit de peso para estatura 7 vezes maior entre crianças que possuem APLV. Com o propósito de melhorar a qualidade de vida dessas crianças, a Danone Nutricia trabalha na qualificação de sua equipe de visita médica, contribuindo para que os pediatras tenham mais informações para a identificação e tratamento da APLV.

 

Referências bibliográficas Canani RB et al. The Effects of Dietary Counseling on Children with Food Allergy: A Prospective, Multicenter Intervention Study. J Acad Nutr Diet. 2014;114:1432-1439.  Fong AT et al. Bullying and quality of life in children and adolescents with food allergy. Journal of Paediatrics and Child Health 53 (2017) 630-635. Gupta RS et al. Food allergy knowledge, attitudes and beliefs: Focus groups of parents, physicians and the general public. BMC Pediatrics 2008, 8:36. Meyer R et al. Malnutrition in children with food allergies in the UK Journal of Human Nutrition and Dietetics. J Hum Nutr Diet. 27, 227-235, 2014. Nachshon L et al. Decreased bone mineral density in young adult IgE-mediatedcow's milk-allergic patients, 2014 American Academy of Allergy, Asthma & Immunology. Prescott S et al. Food allergy: Riding the second wave of the allergy epidemic. Pediatric Allergy and Immunology 22 (2011) 155-160, 2011. Solé D, Silva LR, Cocco RR et al. Consenso Brasileiro sobre Alergia Alimentar: 2018 - Parte 1 - Etiopatogenia, clínica e diagnóstico. Documento conjunto elaborado pela Sociedade Brasileira de Pediatria e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia. Braz J Allergy Immunol. 2018;2:7-38.  Venter C et al. Better recognition, diagnosis and management of non-IgE-mediated cow's milk allergy in infancy: iMAP-an international interpretation of the MAP (Milk Allergy in Primary Care) guideline. Clin Transl Allergy. 2017 Aug 23;7:26.

EDIÇÕES VR DO BRASIL
Rua Acuti, 328 - sala 4 – (CEP 04810-160) – Cidade Dutra – São Paulo / SP – Brasil (55-11) 5505-7088 / (55-11) 5103-0423